EDUCAÇÃO

Dia Nacional do Livro



Hoje (29) é comemorado o Dia Nacional do Livro, para celebrar a importância da leitura e como este hábito transforma as pessoas. Os livros são mágicos, possuem o poder de divertir, relaxar, estimula a criatividade e imaginação, ajuda a escrever melhor, amplia o vocabulário e, mais ainda, transmite conhecimento.

A data escolhida é para homenagear a fundação da primeira biblioteca brasileira, a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, fundada em 29 de outubro de 1810 pela corte portuguesa. Além de livros, nessa biblioteca havia manuscritos, mapas, moedas e medalhas. Desde então o formato de livro que conhecemos hoje, já passou por diversas transformações através dos séculos. Com o surgimento do alfabeto, os povos da Antiguidade já escreviam em pedras ou placas de argila. Há relatos que os registros da História eram feitos em cerâmica e pedra, com poemas sobre um rei da Mesopotamia. A técnica da escrita foi sendo inovada e com o surgimento do papiro e, posteriormente, do pergaminho, o acesso aos livros foi ampliado.

Contudo, nessa época, o acesso aos livros e ao conhecimento era extremamente restrito aos homens da igreja ou a nobreza, pois era considerado como objeto de salvação.

Foi no século XV, que o alemão Johannes Gutenberg (1398-1468) revolucionou a história do livro, introduzindo a técnica da prensa móvel (tipografia), permitindo a reprodução de cópias e popularizou o livro.

Para muitos o hábito de ler é considerado um passatempo e existe uma infinidade de tipos de livros: os didáticos, infantis, biografias, autoajuda, receitas, poesia, contos. Mesmo na era digital, com opções de ebooks e audiobooks, há quem não abra mão de ler um livro impresso. Ter um livro físico, é reviver as anotações feitas durante a leitura, é tocar aquela capa já desgastada, é manusear a página amarelada pelo tempo, é sentir o cheiro do livro e poder guardá-lo em sua coleção.

E você leitor, qual foi o último livro que você leu?
 
A casa dos livros: A Biblioteca Comunitária de Primavera
 
A   Biblioteca   Comunitária   de   Primavera  (BCP),   mantida   pela   Associação   Cultural   e Literária de Primavera, foi criada efetivamente pela e não apenas para a comunidade, como resultado de uma ação cultural, em 1984.

Atualmente, a Biblioteca ultrapassa a ideia de ser apenas um   mero  depósito   de  livros,  e se torna referência no município como um centro ativo de aprendizagem, com realização de projetos socioculturais, com a realização de oficinas, atividades lúdicas, contação de histórias e eventos culturais.

Segundo Gislayne Felix, coordenadora da Biblioteca, “a biblioteca é um meio social, de atendimento às crianças, adolescentes e adultos. As pessoas podem retirar livros e levar para casa, contribuindo a cada dois meses com uma taxa simbólica de R$ 10,00, pode utilizar a sala de pesquisa, acessar a internet. Além desses serviços básicos, na Biblioteca também a comunidade também encontra serviços de digitalização, formatação, fotocópias. Outra forma de ampliar o acesso aos livros, foi com a instalação de pontos de leitura, com a Geladeira Literária no Hospital Regional e a Estante Literária no Banco Sicred. O polo de atendimento do INSS em Rosana também solicitou que colocássemos um ponto de leitura no local e estamos providenciando”

Desta forma, entende-se a Biblioteca Comunitária de Primavera como um projeto muito especial, que une a educação e a ludicidade com o objetivo de formar cidadãos conscientes se transformando em um ponto de promoção cultural, educacional, social e artística da comunidade. A seguir segue a programação anual realizada pela Biblioteca Comunitária de Primavera:
 
JANEIRO: Oficina de Férias;

FEVEREIRO: Oficina de Carnaval;

MARÇO: Oficina Dia Nacional da Poesia; Oficina Dia Mundial da Água e Oficina Dia Nacional do Circo;

ABRIL: Oficina do dia Internacional do Livro Infantil e Oficinas do Dia Nacional do Livro Infantil e Dia de Monteiro Lobato;

MAIO: Abertura do Projeto Negritude Brasileira: a valorização de uma cultura –Palestra Literatura Africana; 

JUNHO: Oficinas do Projeto Negritude; Contação de histórias e Oficina do Projeto de Meio Ambiente;

JULHO: Oficina de férias;

AGOSTO: Feira do Livro;

SETEMBRO: Desfile Cívico;

OUTUBRO: Semana do Halloween e Semana de Combate ao bullying;

NOVEMBRO: Encerramento do projeto Negritude Brasileira: a valorização de uma cultura;

DEZEMBRO: Oficina de Natal. 

Gislayne relata que “a Biblioteca tem uma identidade afetiva com a comunidade, então eu vejo que muitas pessoas que vem aqui se lembram que vieram quando eram crianças, brincavam aqui, liam aqui, faziam trabalhos”. Essas lembranças reforçam a importância da Biblioteca no município e, consequentemente, sem desassociar os livros também.

O mais novo projeto da Biblioteca é o “Viagem Literária”, contudo um sonho antigo, desde 2015. "Com o apoio da Prefeitura de Rosana conseguimos trazê-lo até o nosso municípi", diz Gislayne. Esse programa é realizado pelo Sistema de Bibliotecas Comunitárias do Estado (SisEB) e acontecerá dia 16 de novembro nas dependências da Biblioteca Comunitária de Primavera,com uma roda de conversa com o autor Jonas Samaúma.





Mesmo diante ao cenário atual imposto pela pandemia do coronavirus, a equipe da Biblioteca não deixou de realizar suas atividades, se reinventaram e passaram a gravar a contação de histórias e disponibilizaram no canal do Youtube e na página do Facebook.


Galeria de Fotos:





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



EDUCAÇÃO  |  18/11/2020 - 15h





EDUCAÇÃO  |  14/11/2020 - 18h