ENTRETENIMENTO

Museu de Presidente Prudente inaugura vagão histórico




Foto: Diretoria do Museu/Divulgação

O Museu e Arquivo Histórico Prefeito Antonio Sandoval Neto, em Presidente Prudente/SP, inaugurou hoje (22) a revitalização da área externa, com a remodelação do jardim e a chegada de um vagão de trem. 

Este vagão de trem foi doado pela América Latina Logística (ALL) para a Secretaria de Cultura de Presidente Prudente e o mesmo encontrava-se sem condições de uso, com aspecto bem deteriorado. A Secretaria de Cultura reformou todo o vagão e ele foi deixado no Centro de Eventos do IBC. 

Segundo Valentina Romeiro, diretora do Museu, “por ser um vagão histórico, nada mais justo do que a casa dele ser o Museu”. O vagão pode ser visitado pelo público e também ser utilizado como um espaço para cursos, oficinas, aulas, local para fotografar. 



Uma visita que vale muito a pena!

O horário de funcionamento do Museu é de terça-feira a sexta-feira das 8h às 12h e das 13h às 17h, com visitas à Sala de exposição permanente e ao Vagão de trem. 
A Sala de pesquisa ao Arquivo Históricotambém é aberta ao público, das 8h às 12h e das 13h às 16h.

Um vagão de histórias

As ferrovias paulista atingiram sua máxima expansão na década de 1950, acompanhando a ocupação do oeste do estado de São Paulo. Mas após esse período, fim da Segunda Guerra Mundial, as ferrovias entraram em um processo de declínio, devido principalmente à crise do café e pela substituição das linhas férreas pela rodovia, fomentando a indústria automobilística. 

Em Rosana há a Estação histórica da FEPASA, nome inclusive do bairro onde se situa. 

Esta estação foi construída em 1965 para ser ponto final no estado de São Paulo do conhecido Ramal de Dourados. 

O Ramal de Dourados foi projetado em 1953 para chegar a Dourados e Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. Em 1960 os trilhos chegaram Teodoro Sampaio e em 1965 em Euclides da Cunha Paulista, no Estado de São Paulo. 

A Estação da Fepasa em Rosana foi construída para receber a linha férrea que viria de Euclides da Cunha e seguiria para Dourados, no Mato Grosso do Sul, contudo com o declínio das ferrovias, a cidade nunca recebeu os trilhos.

A era ferroviária no estado de São Paulo movimentou econômica e socialmente o estado, sendo por muito tempo o principal meio de transporte para escoar mercadorias e transportar pessoas.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



ENTRETENIMENTO  |   15/09/2020 16h01





ENTRETENIMENTO  |   07/07/2020 19h30


ENTRETENIMENTO  |   19/06/2020 17h20