TURISMO

27 de setembro: Dia do Turismólogo e Dia Mundial do Turismo




A Organização Mundial do Turismo definiu o dia 27 de setembro a data para celebrar o Dia Mundial do Turismo e homenagear o turismólogo, profissional com formação acadêmica em Turismo e responsável por planejar ações e executar projetos que fomentam a atividade turística.

A profissão foi reconhecida em 2012 pela lei 12.591, que normatiza a categoria de profissionais da área de turismo com atuação no mercado de trabalho, como “gerir estabelecimentos ligados ao turismo; coordenar a seleção e classificação de locais e áreas de interesse turístico, formular e implantar prognósticos e proposições para o desenvolvimento do turismo; criar e implantar roteiros e rotas turísticas; desenvolver e comercializar novos produtos turísticos e organizar eventos entre outras”.

É a visão crítica e olhar apurado do turismólogo que pode transformar potenciais atrativos naturais, históricos e culturais em produtos turísticos que movimentarão a economia, gerando emprego, renda e desenvolvimento, com respeito à comunidade local e aos recursos naturais. E como fica o turismo com a pandemia do novo coronavírus e o isolamento social?

Pandemia e o turismo

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o isolamento social é a forma mais segura para evitar a propagação em massa do vírus, sendo assim, consequentemente, o turismo também sofreu grande impacto, pois esta atividade necessita da mobilidade de pessoas que movimentam o mercado turístico.

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, somente no primeiro mês após o início da pandemia, em março o setor do turismo brasileiro perdeu R$ 11,96 bilhões, uma queda de 84%  no faturamento em relação ao ano de 2019, quando a atividade turística representava 8% do PIB e tinha 7 milhões de brasileiros empregados. Segundo Rita de Cássia Ariza da Cruz, professora do Departamento de Geografia da FFLCH/USP e coordenadora do Laboratório de Estudos Regionais, “os principais subsetores que complementam o turismo, como transportes, hospedagem, agenciamento de viagens e serviços de alimentação e de lazer foram todos muito afetados, com perdas, em alguns casos, próximas de 100%”.

É notório o tamanho do impacto da pandemia do novo coronavírus no turismo do Brasil e do mundo, tanto que a Organização Mundial do Turismo estima que a recuperação do cenário turístico brasileiro poderá levar de cinco a sete anos. 

Enquanto isso cabe aos profissionais da área já pensarem que tipo de turistas terão pós-pandemia, quais experiências eles buscarão, considerando que foi um período de receio, estresse, distante dos familiares e amigos, e quando as pessoas voltarem a viajar, vão procurar por experiências únicas, inovadoras, criativas, revigorantes.

Vai se recuperar e se destacar aquele profissional ou negócio que soube se reinventar com a pandemia, que ofereça segurança sanitária na atividade turística ou no estabelecimento, que tenha presença online nas redes sociais, que seja flexível para reagendar viagens e tenha práticas sustentáveis.

Além da reinvenção dos negócios, o perfil dos destinos turísticos também mudará, as pessoas optarão por programas ao ar livre e passeios em família, evitando o turismo em massa e aglomerações.
De qualquer modo, os efeitos da pandemia sobre o setor de turismo são inquestionáveis, mas de maneira gradual e com planejamento, o setor turístico vai se recuperar e até se superar.






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM